Tentando entender um ateu

sábado, 1 de outubro de 2011

Autor (Rodrigo Maia)


Qual será o problema de acreditar em Deus?
Saindo do serviço encontrei o Teófilo comendo no Benjamin Abrahão da Universidade.

Ele parecia bem revoltado, mais que o normal. Usava aqueles velhos e antigos argumentos: "Se Deus existisse não teria pessoas se ferrando aí.."

Bem clichê esse argumento, mas as vezes nos dá uma preguicinha de explicar tudo, pq de fato essa pessoa não leu a Bíblia e não entende como o universo na cosmovisão cristã funciona.

Aí começamos nossa conversa:

     -O problema de acreditar em Deus é por causa dessa aparente despreocupação Dele com o mundo?

     -Ah, se existisse Deus, não teria o mal!

     -Bom, eu não sei que tipo de males vc se refere, mas tem dois tipos que talvez vc esteja pensando:
Primeiro: A malícia do homem em ser bandido, assassino, ladrão, corrupto...

     -É, eles existem, mas se Deus fosse de fato amor, como vcs cristãos dizem, esses caras não existiriam, ponto.

     -Só que vc esqueceu que esse tipo de mal é culpa do próprio homem e não de Deus.

     -E esses terremotos, deslizamentos de terras... Cadê a justiça divina?

     -Calma, vou chegar lá... rs
Segundo: Esse é o outro tipo de maldade que eu iria falar, a "maldade" da natureza, no caso vc já está ligando a natureza a Deus...

     -Uma intervenção divina cairia bem hein... Vcs que creem falam de um Deus bom, mas parece que Ele nem se importa.

     -Sim! Nós falamos! Mas também falamos que Deus é justo e firme nas coisas que decide.
Ele disse que se o desobedecermos comendo o fruto proibido, seríamos punidos com um tipo de morte eterna e que essa desobediência amaldiçoaria a terra, a humanidade, tudo. Sem falar nos últimos dias da humanidade...
Enfim. Declaramos independência de Deus...

     -Hã?

     -É que quando desobedecemos suas ordens, sugestões, orientações e mandamentos, estamos dizendo que não precisamos Dele. Pq "eu que sei e Ele não sabe.. deixa comigo"
Bom, se a fé na descrença em Deus tem como base o mal, pq quando olho para o bem não posso dizer que Deus existe?
Pq o mal nos chama a atenção? Pq parece que ele é mais forte? O que há em nós que nos leva a pensar ou sentir isso? O que é isso?

     -Acho que vc está exagerando... Não damos tanta atenção pro mal assim."

     -Tudo bem, mas esses cristãos também dizem que tem algo errado conosco e que somos depravados por natureza. Natureza adquirida quando declaramos independência de Deus. Depravado é ser malvado, ou pecador como dizemos.

     -Eu não sou malvado assim... não roubo, não mato e não faço nenhuma outra coisa parecida..

     -O que é mais difícil: Ensinar um bebê fazer carinho ou bater? Agradecer ou fazer birra?
Será que não há algo em nós que revela essa natureza depravada? Será que já não nascemos com essa maldição? Tem algo de errado conosco.
Vc diz que não rouba pq alguém disse que não pode, ou seja, é um mandamento de Deus o "não roubar".

     -Não creio nesses mandamentos.. acho que é um senso que temos dentro de nós, não sei se o q vc disse faz sentido, pq nascemos com esse senso e não com essa maldade toda...

     -Olha só, vc está quase entendendo.. esses cristãos falam que a Bíblia diz que Deus colocou e gravou em nossos corações suas leis, ou seja, Ele fez o homem moral.
Mas se falarmos do que realmente queremos fazer, vou lembrá-lo sempre da historinha do bebê, do que é mais difícil ensinar... É quase que normal sentirmos prazer no pecado, não há nada de novo nisso. Nascemos com essa natureza depravada.

Então, se Deus nos fez moral, no fundo percebemos que há uma verdade absoluta, esse "senso" que vc disse que vai nos dizer: "não é legal roubar."

Vc deve ter percebido que gostamos de ler esse livro preto e se lemos, no mínimo temos que saber interpretar.

Vamos pensar no "não roubar" que vc disse que não faz então.
Por exemplo: Quando mentimos, estamos roubando o direito do outro saber a verdade;
Quando matamos, estamos roubando o direito de uma pessoa viver, assim como violentar uma pessoa fisicamente e psicologicamente. Vc pode roubar a paz de alguém também.
Será que vc nunca roubou?

     -Nossa mano! Que loco isso.. Não sabia o quanto é fácil ser mau... mas se sou tão mau assim nem quero pensar na punição e no que Deus faria comigo.

     -Punição? Merecemos sim! Escapatória? Não vamos conseguir nos salvar.. Quer saber o tamanho da desonra que vc pode fazer a alguém? Meça o tamanho de sua dignidade. Não temos a capacidade suficiente para escaparmos da punição de morte eterna, muito menos o direito de exigir ou decretar algo a Ele.

     -Puuuuxa mano! Tamo realmente ferrado! Eu não sei o que é esse negócio de morte eterna, mas não parece coisa boa..

     -Haha.. Lembra quando eu disse que Deus é justo e firme no que fala?

     -Eita..estou realmente condenado.. e agora?

     -Sim, estamos condenados!

     -Então quem pode se salvar?

     -Ninguém!

     -Aff.. como crer nisso então? Não há nada que eu possa fazer?

     -Calma, não se desespera..rs
Lembra que vc mesmo disse que os cristãos dizem que Deus é bom, justo e amor... e vc não vê nada disso?
Agora, sabe onde tá o amor Dele?
Está no fato Dele ter te amado tanto que deu seu único filho para ser punido em seu lugar. E o melhor... Deus não foi injusto, caso vc pense que Ele escolheu um ser humano X para ser punido...
Ele se fez homem e habitou entre nós. Vc acha que eu acreditaria em um Deus que fosse imune a dor que sentimos? Ele nos entende e ainda lá na cruz Ele sentiu toda a dor que eu deveria sentir. Ele veio trazer reconciliação para vc, para nós, para toda a humanidade.
"O que tenho que fazer"?
Largar mão de viver só, perdido em seus achismos e viver com Ele, ser amigo e amá-lo por quem Ele é. Um Deus amoroso que se importou (até demais) conosco. Queria que vc largasse esse "livre-arbítrio" e voltasse a ser dependente Dele.

Deus amou o mundo de tal maneira, que deu seu único filho para que todo aquele que nele crer não pereça, mas tenha a vida eterna.
Livro de João capítulo 3, versículo 16 
-------
Teófilo é um personagem fictício.
Usei várias referências além da Bíblia para essa história, 
não lembro de algumas, mas vou colocar as que lembro (rs):


KELLER, Timothy - Fé na era do ceticismo -
PIPER, John - Para sua alegria -
PULLMAN, Philip - A bússola de ouro -